14 de set de 2009

O resultado inevitável


Tudo é tão banalizado hoje em dia, que a gente se confunde no certo e no errado, pois é tão normal exultar o errado e reprimir o certo...
E não é diferente com as relações existentes no mundo de agora. Relações de vários âmbitos e de todos os tipos. Todas são super valorizadas, ou o extremo inverso acontece.

Eu discordo das inúmeras opiniões de que confiança vem com o tempo.
Vem com o tempo nada, não sejamos hipócritas.
Confiança se constrói, se molda, se ajusta e se cria.

Um relacionamento que não é embasado na confiança e no respeito, me desculpem, mas tem tudo para dar errado. Como alguém pode viver na corda bamba? Pensando nisso ou naquilo, esperando atitudes e não palavras?

Eu conheci alguém certa vez, que me disse que traia, para prevenir alguma pulada de cerca do parceiro, e que não se importava com a confiança, nem do parceiro para com ela e nem dela para com o pobre coitado. Ela dizia que podia estar errada, mas que sua frustração seria amenizada, caso ela tivesse traído. Na época eu achava um absurdo, lembro das vezes que discursei sobre a boa moral e os bons costumes, e todo aquele blábláblá de ser fiel.

Mas hoje eu vejo que de nada adianta toda essa santidade, se o principal falta.
Confiança é a palavra chave. É como o tronco de uma árvore, dá sustentação, nutre e abre outros vértices para outras possibilidades.
Todo o individuo dá o que tem.
Oferta o que lhe cabe.
Então, não queira pedir e obrigar alguém a confiar em ti, se o mesmo não é feito dá tua parte.
Possibilite confiança, e receberá confiança.
Tudo se encontra tão previsível, que eu digo com toda a certeza que será assim.

Mas não perca, não desmereça e nem jogue fora essa confiança.
Ela não volta, é vidro que uma vez atirado no chão se espatifa em pedaços, impossíveis de serem recompostos.

E por experiência própria, nunca diga "eu não confio em ti".
Esse é o grande passo para o teu fim, e para a tua desconfiança.
Perde-se pontos, e é o motivo de vários sonhos terem chegado ao fim.

Confiança é uma utopia.
Mas eu gosto de sonhar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva mesmo sem saber o porque...