15 de ago de 2009

Querer x Poder



Liberdade.
Liberdade...
Liberdade?
ou
Liberdade!

Sonhos de um insano.
Sou insana então por desejá-la tão ardentemente?
Pode ser que seja, temo que eu seja.
Mas é ela que me faz questionar as coisas, os momentos, as pessoas, um livro, o clima, uma tarde.
E é ela que abre a minha derrocada também.
E ela que me confunde, é ela que me angustia.
É tão doce o seu gosto, é convidativa, é inebriante.
Diria, viciante.
Quanto mais se tem, mais se quer.

E quando não se tem, perdem-se os sentidos, a razão, a lógica para as coisas.
Não tê-la, é como viver dentro de um estábulo, e fora deste mesmo estábulo, estão todos os outros cavalos, livres, sem rédeas e sem cavaleiros para ditar a direção de seu galope. E você ali, assistindo de camarote, o prazer de viver assim, e você sabe que um dia chegará a isso, mas não sabe ao certo quando, e teme que este momento demore demais, a ponto de comprometer fases importantes do seu desenvolvimento. E você também sabe que tem poder para acabar com isso, embora tudo dependa de n fatores. Mas não consegue, por medo ou talvez por tamanha analgesia em que você se encontra.

Existem milhares de situações pela qual passamos, em que a nossa razão serviria melhor como tribunal, não a razão de outro alguém.
E isso é em demasia, necessário.

Eu quero falar o que eu quiser, onde e quando minha boca e minha garganta tiverem vontade de falar.
Eu quero ver e ouvir, sem pudores, qualquer ruído, qualquer som ensurdecedor, pois afinal, são meus tímpanos.
Eu quero ver cenas proibidas para mim, eu quero ver um pôr-do-sol sem restrição.
Eu quero ir aonde os meus pés me levarem, onde a minha mente me ditar, e onde o meu coração escolher.
Eu quero sair e não voltar, voltar e não sair.
Eu quero ir e ter a opção de não voltar, se assim preferir.
Eu quero escolher fazer o errado. Os erros nos mantém alertas e gritam que estamos vivos, e não escaparemos de prestar contas no final de tudo.
Eu quero comprar e não pagar, eu quero comprar e pagar o dobro.
Eu quero esbravejar, gritar e discutir, e depois me arrepender.
Eu quero interferir na vida de alguém e fazê-lo mudar seu destino.
Eu quero dizer "azar" com todo o seu sentido literal.
Eu quero me sentir viva, eu preciso.
Nem que isso me custe o bom sono de todos as noites.

"A liberdade não tem qualquer valor se não inclui a liberdade de errar."
(Mahatma Gandhi)


Um comentário:

  1. Liberdade ?

    Seria assim, Liberdade interrogação.
    Pelo mero fato de não podermos de fato a conhecê-la.

    Insanas,eu diria que são aquelas que se acomodam a tudo. rs

    ResponderExcluir

Escreva mesmo sem saber o porque...