19 de abr de 2009

Pequena geminiana de Jesus, quem és tu?

Sou simpática, sou amiga e sou teimosa, amo ler, adoro comer bobagens, na música não há o que eu não goste, não gosto de novelas, tive preconceito e hoje não tenho mais, odeio racismo, falo da aparência das pessoas, e não tenho vergonha de nada do que eu faço, me divirto com pessoas tímidas, gosto de preto e branco, vermelho, já tive dúvidas sobre tudo, gosto de doce, chocolate, não odeio emos, amo reggae, ponto de equilíbrio, amo grunge, amo nirvana, gosto de filmes legendados, amo tirar fotos, gosto de estar perto de quem me faz bem, sou destra, escrevo com o caderno na vertical, conto e rio de piadas sem graça, tenho medo de alguns cachorros, me irrito demasiadamente, gosto de pessoas gentis, gosto de dormir quando não se há mais nada a fazer, odeio ser ansiosa, não me movimento durante a noite, falo dormindo, gosto de cantores que fizeram sucesso no passado, mudo de assunto facilmente, sou muito chata quando quero, amo dar conselhos e dizer a alguém o que fazer, e não me sinto culpada por isso, odeio quando mandam em mim, acho a liberdade mais importante que o pão, não demonstro alguns medos, não ligo para opiniões terceiras ao meu respeito, gosto de estilo, não muito da moda, sei tudo que me faz bem, não me arrependo de nada, faço perguntas tolas e infantis, amo crianças, principalmente recém-nascidos, daria a vida por meus amigos, e nem sempre sou verdadeira, acho a falsidade elegante se usada com inteligência, não gosto de ser arrogante com ninguém, gosto de sair, criatividade nunca me faltou, não gosto de plágios, a verdade sempre se destaca entre as cópias, gosto de pessoas misteriosas, gosto de sentir medo, não sou dengosa, gosto de assistir filmes, falar sobre coisas fúteis, falar sobre política, jogo futebol e amo salto alto, amo andar de ônibus, gosto muito da minha família, mesmo sabendo que são meus algozes, não gosto de gente antipática, gosto de tomar banho, gosto de demorar mas não gosto de esperar, sei muito bem quando e onde não sou bem quista, faço novas amizades com facilidade, sou geminiana, nasci no dias dos namorados, sou inconstante e imprevisível ás vezes, faço eu mesma um esforço enorme para me entender, choro por qualquer coisa, digo eu te amo pra quem amo realmente, me arrisco de todas as maneiras, gosto de aventuras e de todos os tipos de esportes, falo mesmo que por impulso, odeio quando minha consciência fala mais alto do que eu, gosto de irritar pessoas sérias, faço brincadeiras e sei quando devo parar, não bebo e não fumo, faço sexo, é mais saudável, adoro viajar, conhecer lugares novos e inexplorados, gosto de verão, inverno e primavera, mas não gosto de outono, não gosto de indecisão, gosto de coisas simples e práticas, gosto de resolver testes e palavras cruzadas, gosto de novidades, mas gosto de seguir uma rotina, quando necessário, gosto de ler Bruna Surfistinha e Dostoiévisk, não suporto quando perco, adoro vencer, penso em concretizar meus sonhos, quero casar, ter filhos, mas não quero virar dona-de-casa-que-não-tem-vida-própria, gosto mas não sei tocar violão, sei muito bem usar meus erros e acertar numa próxima vez, tenho cabelos cacheados,e sou feliz com eles, um dia não fui, gosto de andar pelo shopping sozinha, fico muito irritada quando esqueço as pilhas do meu mp3, gosto de funk pelas baixarias, é uma forma de cultura, do povo, sou suscetível a elogios, e gosto de dançar sozinha, não vivo sem amor, amo incondicionalmente, loucamente, perigosamente, sou apaixonada por música antiga, e gosto do que é mais difícil, gosto de olhar nos olhos, de abraçar, não gosto de me sentir vulnerável, mas gosto de ser controlada , tenho um blog e não acho demodê, não gosto quando alguém não entende o que eu falo, costumo ficar nervosa quando falo em público, adoro dar e receber, seja lá o que for. Não sei ser diferente disso, pois cada um tem a Priscila que merece, amo lasanha e batata frita, e sou colorada fanática.


Um comentário:

  1. "acho a falsidade elegante se usada com inteligência" (A-DO-RAY [/morri])


    "gosto muito da minha família, mesmo sabendo que são meus algozes"

    explica isso. Não compreendi a fundo.

    aiai, Priscilittle... me matei rindo de alguns pontos, noutros, me senti refletindo e noutros ainda tentei descobrir a Priscila que você diz ser e eu não vejo (assim como notei várias Priscilas que eu conheço durante o texto).

    Você me lembra um pouco Martha Medeiros, sabia? um turbilhão de pensamentos e sentimentos, que levam das lágrimas às risadas em um segundo.

    Você tem razão, cada um tem a Priscila que merece, tanto que muitas das Priscilas retratadas no texto eu não conheci (ou passou desapercebido). Mas creio que eu conheço a maior parte, a grande e melhor parte de todas. Acho que conheço o melhor de você, assim como você conhece o melhor de mim.

    saudade bate tão forte, me dá vontade de querer te ver imediatamente, pra debatermos horas e horas sobre nossas identidades.

    te amo, sabia?
    adorei o texto :D

    ResponderExcluir

Escreva mesmo sem saber o porque...