9 de out de 2008

Senilidade

Nossa.. Não é atoa que a preguiça é um dos sete pecados capitais...

Ela invalida o sujeito, anula sua vontade de ação e ainda por cima vence todos os sets de um jogo, cujo o único vencedor é aquele que consegue agir.

Estou nessa a dias. Escrevo... Não escrevo..
E pasmem.. não por falta de vontade. Isso garanto que não me falta. Nem por falta de assunto, pois me basta não ser alienada, mas sim por falta de inspiração.
Deixa de ser prazeroso quando algo se torna obrigatório. Então decido nem poluir o ambiente com meu textos (dramática...)

Mas o fato é que. Quando escrevo aqui, tudo parece menos complicado, menos pesado e menos vago. Então cá estou eu, falando sobre a minha pouca vontade de escrever nos últimos dias. Mas não me condeno por isso. Muitos, se não todos, os autores e escritores passam por isso, quer queirão quer não. Inspiração não é uma luzinha que se acende no fundo do cérebro, antes fosse...

...

Esses dias, peguei o meu T7 lotado matinal, havia esquecido meus fones, fato que raramente acontece comigo. Sentada na janela, pude perceber que duas senhoras, em torno de 50 a 60 anos vinham conversando sobre diversos assuntos. NOTA: o percurso todo.
Já que não pude escutar mais nada agradável, resolvi prestar um pouco de atenção na conversa das duas jovens senhoras. Já no primeiro instante o dialogo me chamou a atenção.

- "Ontem eu estava na academia, com o Paulão, por isso estava off no msn..."

Aquela pequena afirmativa me caiu como, um tapa bem dado na cara para acordar... Não fiquei surpresa, pelo contrário, convivo com pessoas mais velhas diáriamente e sei que se não fazem tudo, ou quese tudo igual aos "ditos " mais jovens, é por que não querem, porque disposição não lhes falta. Minha vó é um exemplo vivo. Quatro filhos, seis netos e nenhuma ruga. Computador a todo vapor. Msn ligado 24 horas diárias. Emails lidos, respondidos e apagados. Pleno bem-estar e plena vontade de viver.

E é isso que me choca.
Cada vez vejo mais gente jovem por ai, assim como eu sempre insatisfeito com alguma coisa, sentindo fadiga só de pensar em levantar da cama, morrendo ao pensar num exercício físico.

E é ai que entra a senilidade. Os idosos ganham em disparada no quesito animação e entusiasmo para com a vida. Deixando todas as precariedades de lado, saúde física e mental, pré-disposição à problemas fisiológicos, preconceito e claro sem falar na bendita aposentadoria, que muitos infelizmente acabam definhando a espera da mesma.
Sem generalizações é claro, passam pelos problemas todos já citados e muitos outros que não foram lembrados, como rastro de pólvora, desprendendo-se do passado e do futuro, aproveitando e vivendo o presente.

O que fica disso então? Pode-se dizer que uma ponta de inveja, mas uma inveja boa, construtiva. A vontade de sempre querer tem e deve ser contagiante, e sem faixa etária.

...depois daquele dia, rezo para encontá-las de novo. Sem titubiar, pedirei o msn de uma das duas.






2 comentários:

  1. Belas palavras...

    mto bom,,
    essa é a minha escritora,,

    ;*

    ResponderExcluir
  2. Priscila, desde que a conheço, tenho conhecimento de como vc domina um grande vocabulário, mas você anda se superando meu amor. De verdade, sua escrita tem estilo, é criativa e prende, porquanto é bem escrita e de modo algum complicada. Transpassa o sentido, de forma culta e sem rodeios.

    Adoro vc muito mesmo, Pri. E fico feliz em vê-la escrevendo tão bem. Viu só? tua essência cult e indie anda expressando-se. Daqui mais uns tempos, te encontro namorando um jovem escritor ou DJ. hahahahaha

    beijão!

    ResponderExcluir

Escreva mesmo sem saber o porque...