24 de jan de 2010

Pra ser sincera

Sinto algo estranho nos últimos dias.
Algo que não sei bem explicar.
Algo que me incomoda demais, mas eu não descubro o que é.
Eu vivo um momento bom, relativamente estável na minha vida. Mas essa melancolia persiste.
Talvez por eu saber a verdade e não querer que ela venha á tona. Talvez por eu saber que nem tudo é como eu imaginava que fosse, ou que uma hora ou outra as coisas mudam, pra pior e pra melhor, mas essa mudança, me deixa inquieta.

Eu tenho tido vários pensamentos diferentes da minha real vontade.
De repente me deparei com algumas verdades constantes, que não mudam, mas que eu temo que cheguem a mim.
Nunca gostei de ser expectadora da minha história, sempre fui a protagonista, e nunca esperei que o destino me dissesse o que fazer.
Mas agora, nesse exato momento, eu me encontro de mãos atadas, diante de uma situação tão paradoxal.

De duas uma, ou eu dou um passo, erroneamente ou acertadamente, pois não terei como saber, seguro as consequências e a minha consciência gritando que eu sou impulsiva, mas que fiz a coisa certa a se fazer, ou eu me sento, espero, vejo, ouço e penso em tudo o que se passa na minha volta, e aguardo, pois as coisas sempre tomam o seu caminho independente do que façamos ou não, nós somos inerentes as mudanças.

Cometo o pecado de não saber perdoar, e por isso talvez, esse receio todo de me ferir.
Ferir-me? Machucar-me? Decepcionar-me?
Eu sei que vou, mais cedo ou mais tarde.
Eu tenho o péssimo costume de confiar demais nas pessoas, de contar coisas, de esperar delas, mais do que elas podem dar, justamente por achar que todos são iguais a mim.

A minha eloquência diante de tantos maus feitos está ficando escassa.
A retórica é visível, e mesmo assim, nada muda, ou tudo estagnizou, esperando o fim que é iminente.

O preço que se paga ás vezes é alto demais, e eu não estou disposta a pagar pra ver.
Essa linha entre o querer e o poder, está ficando cada vez mais tênue, e há tanto tempo, há tantos planos, há tanta vida...

"Pensei que era liberdade, mas na verdade, eram as grades da prisão..."
H.G

Me enganei, mais uma vez.

Um comentário:

  1. MORRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR
    LIMOR
    AUHEUHAE
    LIMOR
    MOR, EU TE AMO TAH MOR?
    COMO TUH ESCREVE BONITO MOR
    DESCULPA MOR SE EU NÃO TENHO O HÁBITO DE LER, MAS, QUANDO EU LEIO EU VEJO OUTRA PESSOA EM TIH. :o

    ResponderExcluir

Escreva mesmo sem saber o porque...